Ranicultura - Produção de rãs

30-07-2013 15:56

Portugal é um país com condições ideias para a produção industrial de rãs (ranicultura) para o fornecer o mercado europeu, que esta praticamente virgem nesta actividade. O seu clima temperado permite a produção durante todo o ano a baixo custo e a proximidade com os principais países consumidores, torna esta uma cultura a ponderar seriamente pelos promotores de novos projetos de investimento.

Estima-se que o consumo anual de coxas de rã em França seja de 4.000 toneladas e cerca de 1.000 toneladas de animais vivos para abate.

Em todo espaço europeu o consumo anual estimado é superior a 10.000 toneladas de animais vivos, sendo a Suíça e Alemanha os maiores importadores logo a seguir a França.

Os principais fornecedores deste enorme mercado são:

- Brasil, Tailândia, Indonésia e China (carne congelada);

- Países periféricos da orla mediterrânica, como o Egito e Turquia (animais vivos);

- Capturas de animais selvagens.

Os preços ao produtor  são bastantes atrativos, tendo-se mantido estáveis nos 12,5€/Kg para carne de rã congelada e 25-37€/kg para animais vivos.

Segundo a AGROTEC, com um ranário de 2.500m2 e utilizando a Rana ridibunda (espécie nativa da europa), podem-se atingir produções de 5 toneladas de carne por ano.

 

Fonte: AGROTEC n.º 7