Produção de amoras

As plantas de amora pertencem ao Género Rubus da família das Rosáceas e são nativas em grande parte da Euro Ásia e da América do Norte.

Os produtores têm optado por canalizar os seus investimentos para outras culturas no sector dos pequenos frutos, como os mirtilos, framboesas, groselha, etc.

No entanto a oferta deste fruto, ainda tem muita procura por satisfazer e os preços praticados são interessantes do ponto de vista económico para o produtor.

Dados:

  • Área Nacional afeta à produção de amoras (2012) = 19 ha;
  • Produção Nacional de amoras (2012) = 259 toneladas;
  • Exportações de amora= 188 toneladas;
  • Valor das exportações= 715.000€
  • Na Europa a área total é de cerca de 7.700 ha, sendo a Sérvia a maior produtora representando 69% desta área.
  • As plantas produtoras de amora pertencem ao Género Rubus da família das Rosáceas e são nativas em grande parte da Euro Ásia e da América do Norte;
  • A produção-comercialização nacional decorre entre os meses de maio e setembro, sendo a oferta mais forte nos meses de julho e agosto.
  • Área mínima necessária para viabilidade da produção= 1ha

Vantagens:

  • Ótimas condições edafo-climáticas, em Portugal, para o cultivo da amora;
  • Desenvolvimento de novas cultivares, melhor adaptadas à produção de fruta para o mercado em fresco;
  • Apresenta menores custos de produção do que os restantes frutos vermelhos, pois apresenta:
  • Maior vigor;
  • Maior tolerância a doenças ↔ Não exige tantos tratamentos fitossanitários;
  • Não necessita de ser replantada frequentemente
  • Produto com benefícios para a saúde (níveis elevados de antocianinas);

Desvantagens:

  • Custos elevados com mão-de-obra;
  • Escassez de mão-de-obra;
  • Falta de organização a nível nacional ↔ Recorrentes flutuações nos preços pagos ao produtor, consequência da competição entre regiões produtoras;